Adicionar aos Favoritos





1- O que mais valoriza o preço de um Livro comum Novo, em Catálogo da Editora?

A- Um excelente Autor, com conteúdo original, com credenciais acadêmicas científicas e universitárias;

B- Uma ótima Editora que faça um acabamento de diagramação perfeito; utilize um papel de boa qualidade; que tenha um Revisor competente de tal forma que não haja erros de Português, ou em outro Idioma; nem existam erros de digitação;

C- Uma Editora que possua um Corpo Editorial, que são Professores Doutores ‘experts’ universitários com titulação acadêmica e que analisam o livro ANTES dele ser Editado e dão um Parecer sobre o Livro, se ele deve e pode ser Editado ou não;

D- Um Livro Catalogado no ISBN ou no ISSN, para garantir que não é plágio;

E- Se há um acabamento artístico no livro, com designers de Produção Editorial elaborando as capas e sobrecapas;

F- O acabamento do Livro: Se é Encadernado e com sobrecapa; o papel utilizado de má qualidade modifica as imagens e cores de um livro. O Papel Couché é o melhor;

G- A qualidade da tradução deve ser feita sempre a partir do Idioma Original do Autor. Se for um Professor Doutor da área do Livro que traduziu é garantia de que o pensamento do Autor foi bem transmitido. Por exemplo: Immanuel Kant, filósofo do século XVIII, que escrevia em alemão gótico, antigo e difícil. Nós temos um exemplo maravilhoso de excelência de tradução: O livro de Kant: “Crítica da Razão Prática”, da Editora Martins Fontes, cuja tradução é do Prof. Dr. Valério Rohden, Especializado em Kant. A Edição é Bilíngüe: Alemão Gótico/Português. É uma preciosidade;

H- As más traduções acabam com o preço do Livro, por exemplo: Existem Editoras que fazem tradução da tradução por pessoas que não são da área e muito menos universitárias ou Tradutores Juramentados. Mesmo estes, precisam ser Especializados na área do assunto do Livro, pois senão as confusões são infinitas. Tradução da Tradução é pegar uma Edição em Espanhol da “Crítica da Razão Prática” de Kant e traduzi-la! E não indicar nada. Tudo se passa como se a tradução fosse direta do alemão. Às vezes são várias pessoas que fazem a tradução da tradução: cada uma traduz um trecho do livro em diferentes idiomas. Isso é uma afronta à cultura oferecida ao público. E como o público desinformado vê um livro do Kant por R$10,00 ele compra. Por que ele vai comprar o Livro Bilíngüe da Martins Fontes que custa R$ 90,00? Ele não compreende a enorme diferença que faz no entendimento da obra uma tradução direta do original de Kant, de 1788, de um mix de traduções não especializadas, em Editoras que não possuem Corpo Editorial para garantir a qualidade do texto, etc..

I- Se uma Editora coloca qualquer pessoa para traduzir um livro, deve pelo menos ter uma Revisão Técnica de um Prof. Dr. da Área do Livro.Isso já ajuda, não resolve o problema, mas significa que a tradução é um pouco mais elaborada.Não é um crime;

J- Uma Boa Editora indica a Edição, o Ano da obra e o Idioma original que foi traduzida. Por exemplo: Acabou de ser lançado um Livro do Sir Bertrand Russell em português. A pessoa desinformada pode considerar que o livro original é de 2008, quando na realidade é uma tradução do original inglês de 1956! O ano e o idioma em que a tradução se baseou tem obrigação de ser informada ao público. Senão é crime;

L- Se é uma Primeira Edição Autografada pelo Autor;

2- O que mais valoriza o Preço de um Livro Usado?

A- Todos os itens anteriores servem para o Livro usado também. Então além dos itens acima o que mais valoriza um Livro Usado é o Estado de Conservação do Livro;

B- Um livro usado tem seu preço altamente desvalorizado se: está manchado, mofado, ondulado, grifado à caneta ou à lápis, se está com a estrutura quebrada, páginas saindo, capa e sobrecapa desarticuladas do resto do livro, páginas muito amareladas, friáveis , ou seja, vão desmanchando conforme viramos as páginas, corrosão por insetos tipo brocas e traças que fazem da página um rendilhado esburacado, se possui carimbos, se foi de Bibliotecas, se foi Exemplar do Professor, que é proibida a comercialização, se possui dedicatória, não do Autor, se apresenta assinaturas de antigos proprietários, se a capa não é original, se faltam páginas, se estão com a lombada ou a capa desbotada, se está sujo e não sai com técnicas de restauro, se em cada esquina é encontrado um exemplar do livro, grandes Edições de obras sem saída, se estão com páginas rasgadas ou descoladas, etc.

C- Um exemplar usado é altamente valorizado se é de um Autor e Editora muito bem qualificados, se não apresentam sinais de uso ou leitura, se está em perfeito estado de conservação, se as páginas estão perfeitas e brancas não amareladas, se não há problemas visíveis no estado geral do livro. Se a tradução é ótima, com nome e sobrenome de pessoas reais e não de pseudônimos, enfim, quanto melhor é o Estado de Conservação do Livro, mais caro ele se torna.

3- O que mais valoriza o Preço de um Livro Raro ou Esgotado, fora do Catálogo da Editora? A- Se for Raro somente, é o quanto ele é Raro. Se ele aparece de vez em quando em Livreiros de Livros Usados. Mas, daí o seu estado de conservação é crítico para a determinação de um preço;

B- Se for Esgotado, Fora do Catálogo da Editora e além do mais Raríssimo, o preço de um exemplar destes de um excelente Autor e Editora, em ótima conservação e perfeito estado, pode ser muito alto;

C- Se for uma verdadeira Antiguidade, dos séculos XVII, XVIII ou XIX, em ótimo estado de conservação, sem restauros mal feitos, Autografado, 1ª Edição, só Milionários, como o lendário Sr. José Mindlin do Brasil, Bibliófilo e Milionário, podem comprar. Porque daí saímos do Ramo Livreiro e entramos para o Ramo das Obras de Arte.


analimabookseller@uol.com.br





˜˜˜˜˜˜˜˜˜˜˜˜˜˜˜˜˜˜˜˜˜˜˜˜˜˜˜˜˜˜˜˜˜˜˜˜©2009 Design by Monalisa˜˜˜˜˜˜˜˜˜˜˜˜˜˜˜˜˜˜˜˜˜˜˜˜˜˜˜˜˜˜˜˜˜˜˜˜